Dia 4, no dia 5

Há uns tempos falei do dia 1, aqui. De se escolher, uma qualquer meta ou desafio e praticá-la, durante 21 dias consecutivos para que se torne um hábito. Essa minha primeira tentativa já começou há quase 21 dias mas foi interrompida por duas vezes e assim, com um grande suspiro, foi retomar tuuudoooo de novo. E custou um pouco porque foi só mesmo ali um esquecimento de uma das vezes em que já ia no dia 7 e da outra vez, no dia 6.... nada a fazer. 

Olhei para o calendário e é sempre aos fins-de-semana. E já nos meses anteriores isso acontecia. Ou porque lhes ponho coisas a mais dentro ou porque há sempre muitas prioridades sem ser as minhas ou por simplesmente facilitar. 

Esta segunda-feira retomei pela terceira vez a corrente dos 21 dias e hoje, dia 4 já está feito. Não é nenhum feito extraordinário, nem a meio vai a procissão mas precisamos muito de nos relembrarmos que vamos sempre a tempo de retomar as nossas conquistas e desafios, que com uma boa dose de persistência e esforço, em querendo acreditar que algo é bom e importante para nós, se chega lá. Faltam 15 dias e como em quase tudo, é um dia e um momento de cada vez. Mesmo em dia feriado, com a casa toda a dormir, ainda escuro lá fora, com um ou outro bocejo mas já com a lista de desafios para hoje em andamento. 

E Viva a República!





Imagem deste autor.




A escola

Chegou a casa.
Foi concentrado, compenetrado e focado, directo para o quarto. Tirou os livros. Fez os trabalhos de casa. A seguir, fez uma revisão de tudo o que aprendeu naquele dia. Arrumou os livros do dia seguinte. Colocou a mochila na entrada. 

Só que não. Não foi nada disto que aconteceu.

"Ó mãeeeeeeee!!! Não encontro o lápis!"
"Não me apetece fazer isto! Ainda ontem fiz! Porque tenho que voltar a fazer as mesmas letras que fiz na escola?"
"A Luísa é mais rápida que eu a escrever..."
"Isto é chato!!!!" 
"Posso só jogar mais um jogo no tablet, antes de ir fazer os tpc?? Pleaseeeeeeeeeeeee!"
"Ó pai, senta-te aqui ao pé de mim, enquanto passo este texto de 3 páginas!"

Estas e outras questões pertinentes para o estado da nação de cada casa, no próximo Pais que Respiram na ... Escola.

Inscrições até 7 de outubro para: abelpb@gmail.com


Realidades


Um jornalista. Um fotógrafo. Põe-se e tira-se cenário e tudo muda. A história daquelas pessoas. Basta clicar em cima das imagens.
Uma notícia de fevereiro mas que continua, atual. 
Até quando. 

Para ver aqui.


Imagem daqui.

Dúvidas e dramas em início de ano escolar


"Às vezes as crianças julgam-se e rotulam-se a si próprias. Ginott fala-nos de Philip, de 14 anos, que estava a trabalhar num projeto com o pai e acidentalmente espalhou os pregos pelo chão. Carregado de culpa, olhou para o pai e disse:
 - Que desastrado que eu sou.
- Não é isso que se diz quando os pregos se espalham - diz o pai.
- O que é que se diz? - perguntou Philip.
- Diz-se: os pregos espalharam-se, vou apanhá-los! - respondeu o pai.
- Só isso?
- Só isso.
- Obrigada, pai."

Dra. Carol S. Dweck em,
 Mindset - a atitude mental para o sucesso.

Simples? Simples. 

Estas e outras questões para dia 14 do mês que vem.



Fé!

Ouvi uma vez esta música na rádio mas não fixei-lhe o nome, só que era do senhor Steve Maravilhas e com esta falta de dados, perdi-lhe o rasto.

Cá por casa fazem-se, de vez em quando sessões de cinema e felizmente, os filmes de animação são feitos também a pensar nos pais, apareceu-me isto este fim-de-semana.

Nem mais. Muita FAITH. E ação da nossa parte, para que a fé se torne real. 

Ao som disto, impossível, não acreditar, nesta semana. 


Quando o universo responde

A Luísa, enviou-me o seguinte mail:


Sabes a verdade bem dentro de ti e entre o que achas que se deve fazer e o que realmente querias fazer há um abismo de dúvidas e incertezas e paciências que vão variando em graus e modos de estar.

Então perguntas-te a ti própria e mandas pergunta ao dia, à semana, ao universo. Na espera da resposta, a uma inquietação que não sei bem explicar e ficas com dúvidas e mais perguntas que parece que ficam sem resposta. Mas aí, sem estares à espera, e porque procuras e perguntas e aprendeste a serenar o coração, aceitando o que não podes mudar e mudando o que é possível mudar, cai-te no colo o que precisavas ouvir. De novo.




Basta 1 gesto

... para fazer a diferença.
Um dar o braço a torcer.
Um sorriso a quem não o está à espera.
Um mail ou sms só a dizer Olá!
Um minuto de silêncio e pensar em alguém que está a precisar das nossas boas energias.
Um mimo, uma pequena surpresa a alguém, conhecido ou desconhecido.

Dia Internacional da Paz é hoje e começa, em cada um de nós, nas mais pequenas coisas.

Basta 1 gesto. 

Um grupo de jovens, das mais variadas crenças, mostraram isso mesmo. Cada um deles deixou uma mensagem, respeitando as suas verdades espirituais. Para ver aqui.



Imagem daqui.